8 de ago de 2005



Fly me to the moon

Viagem de ônibus. Tenho inveja de quem deita e dorme até o destino final. Eu nunca consigo.

Sexta estava lá eu, dentro do transporte coletivo, socando meu banco porque eu não conseguia fazer o negócio ficar na posição deitada. Desisiti. Fiquei com as costas no ângulo de 90 graus durante 4 horas. Ao meu lado, uma gordinha de roupa apertada já chegou deitando e tirando seus sapatos. Ficou com aquele dedinhos roliços e unhas pintadas de esmalte cintilante de fora. Dava um efeito nojento quando a luz externa refletia naquelas "linguiçinhas aperitivo brilhosas". É eu sou chata mesmo. Descobriu só agora?

"Legal" em ônibus é quando um maldito resolve comer alguma coisa que fede. Chee-tos de queijo. Aquele troço empesteando o ar com cheiro de vômito/cheddar. Melhor ainda quando a "Dona Neide" atrás de você resolve chupar mexerica. Oh! Você quer chutar aquela fruta dos infernos pra fora, e mandar a "sujeita" se trancar no banheiro até a viagem acabar.
Mas existem as regrinhas de conduta, convivência humana, educação e essas merdas de grupos sociais.

Sin City

Bárbaro. Assistam. Leiam os quadrinhos. E depois montem um santuário para Frank Miller na sala da sua casa. E coloquem oferendas diariamente. Se benzam ao passar por ele. Batam palmas. Praise the Lord Miller.

"Paulistanos"

Eu ainda vou ser um.

F.M dial 08.00

Like a soul without a mind
In a body without a heart
I'm missing every part

(Massive Attack - Unfinished Sympathy)