5 de out de 2005

Santa Cretinice Batman!

Ontem estava eu folheando uma revista "social". Que diabos é isso menina? É como se fosse uma coluna social gigante, colocada em uma revista. Eventos, fotos, fotos, fotos e mais fotos de gente que eu não tenho a mínima idéia de quem seja. Mas aqui em Shittyville é assim, e sei que no resto do planeta qualquer cidade que se preze, tem ao menos uma coluninha social. Até a cidade de Taiúva, interior de SP, com 30 habitantes deve ter a sua. Nem que seja para mostrar a "Dona Mercedina indo à missa na companhia de Cleomilde Jurubeba e Therezinha Mato Fino, em uma tarde de domingo".

Existem níveis de cretinice nesse mundo. Existem coisas pouco cretinas, meio e muito cretinas; e algumas, não muito raras no dia de hoje, que ultrapassam todos os níveis suportáveis para nossos cérebros. Vejo a imbecilidade na mídia como um ruído supersônico: um zumbido insuportável que entra dentro da sua cabeça e praticamente transforma seus miolos em geléia de mocotó. Uma arma poderosíssima.

O fato meus queridos, é que ao folhear uma revista de fofocas de "famosos" é muito idiota, mas fofocas de ilustres caipiras metidos a besta, ahhhnnn, é doente. Se o fato da Angelina Jolie ter adotado uma menina faminta na casa do caralho, não faz diferença na sua vida, que diferença há em sua miserável existência quando a "Sofia Nababo" faz uma festa de arromba no "buffet" mais "requintado" da cidade, com convidados "chiquérricos" e comida "a dar com pau"? Vamos, comentem comigo, que porra é essa? "Benhê, benhê! Olha, a Neuzinha na foto!" "Como está gorda" "Lógico, depois que o marido largou, só sobrou o bagaço". É.

Já sei! É pra isso que essas revistas "sociais" funcionam: Para enriquecer seu bolo fecal. Se colunas sociais tivessem fibras, meu amigo, você com toda certeza, cagaria melhor. Na próxima fez que for defecar, leia uma coluna social para ficar inspirado a realizar sua "obra".

Recomendo que depois tire uma foto do seu trololô e mande para a coluna social "Fézio Fekalli em momento relax na hidromassagem de sua casa de campo". Luxo!

Continuando minha campanha, vote NÃO AO REFERENDO:

The man with the golden gun

Um dos meus diálogos favoritos nos filmes de James (desculpe os não entendidos em inglês, mas o negócio só faz sentido na língua de Shakespeare). Em "O mundo não é o bastante" ele obviamente comeu a bandida, que depois o faz refém, a gostosa Elektra King.
Ele se liberta, e ao pegar seu Pistolão e mirar pra moça...ela diz:

Elektra
- You can't kill me James! You will miss me!

Bond (atira sem dó na vagabunda)
- I never miss.


É por essas e outras que TODOS os James estão apoiando a causa do VOTE NÃO.

Vocês não estão a serviço da rainha, mas por favor, tenham bom senso.








Mônaco. Bond bebendo Dry Martini em um cassino (Connery no caso) Ele se vira para a câmera, levanta sua sobrancelha direita, dá um gole e diz (com aquele shotaque eshcoxêsh):

"- Vote No. If you can't trust in a gun, then what's the world come to? I have License to Kill bad guys. So should you."

Pois é. Nobody does it better.