6 de out de 2005

Sem polegar opositor

Apesar de ser uma menina, eu brincava de Commandos em Ação. Logicamente, eu tinha uma "mulherzinha", e não um "hominho" para brincar. Não me tomem por sexista, mas sempre fui assim. É pra jogar video game? Eu escolho mulé: Street Fighter? Chun Li! (ou Sakura, mas hoje tem tanto personagem que nem sei mais).

O engraçado de brincar de Commandos é que eu e meu irmão passávamos horas construindo os cenários, com montanhas e laboratórios, bunkers, lamaçais, rios e bases militares. Depois de tudo pronto, dava preguiça de brincar. E a gente ficava montando "cenas" só pra ver nossa obra de arte. Que honestamente, eram cenários muito bem feitos. Meu irmão é meio perfeccionista, então ele recortava placas de isopor, pintava, pegava papel alumínio, celofane e montava os lugares mais insólitos do planeta.

O boneco do comandos era absolutamente desmontável (só não podia perder a borrachinha!) e dava pra fazer uns Frankensteins, perninha de um, bracinhos de outro, tronco do ninja e cabeça de índio. E depois os primos e amigos se degladiavam para pegar as peças de volta. Minha mãe ficava puta "eu te dei de aniversário antes de ontem e você já desmontou o boneco todo!". Mas era assim. A minha "mocinha" (Scarlett) ele nunca desmontou, porque não dava pra aproveitar nenhuma parte...

E os dedinhos, oh dedinhos...Quebravam sozinhos! Era você tirar da cartela, e plec, lá se foi o polegar! Pra segurar a arma depois, só colando um durex... Mas isso não importava, seus boonequinhos lutavam pelo bem, mesmo tendo fita adesiva colada no braço, eles estavam lá, acabando com o mal, sendo derretidos, afogados, enterrados, mordidos e pisoteados. No final da batalha, eles hasteavam a sua bandeira, em honra à pátria que era seu quarto. E cantavam o hino em homenagem à sua terra natal:

"Bradamos pelas lindas planícies de carpete
Oh luz que vem do branco céu, proteja-nos da escuridão da caixa de brinquedos
As paredes riscadas com giz de cera aquecem nosso coração
Com memórias de dias que ainda virão

História erguida por firmes paredes de Lego
Que defendemos com nossos corações de plástico
Levantamos nossas armas sempre que nosso Mestre mandar
Por nosso quarto, vamos Lutar!"

VOTE NÃO

Então, falando em Gi Joe, veja só que está apoiando a campanha Não:

Rock and Roll, um dos primeiros Comandos a ser lançado no Brasil.

Pistolão para acabar com os Cobras. Uma batalha feia, mas necessária.