7 de ago de 2006

Genial



A genialidade da "pessoa humana" é algo que sempre me surpreende. A criatividade deste povo tão especial, com a mente prolífera e peristáltica é capaz de criar coisas inacreditáveis. Nos últimos dias tive a oportunidade de ver anúncios publicitários que desafiaram todos os conceitos criativos contemporâneos que eu conhecia.

Vamos a eles:

- Ao abrir uma revista chamada Festa (veja só, era de Curitiba) me deparei com um anúncio deveras misterioso, eu até me arrisco a dizer ousado. Um anúncio de um buffet chamado "Porco no Rolete". Uma mesa bem posta, uma toalha sofisticada, taças diferentes e talheres brilhosos chamavam o leitor para realizar seu evento neste espaço de extremo bom gosto. Eu, pessoalmente não tenho nada contra porcos no rolete, muito pelo contrário. Mas em minha inocente experiência não vejo porco no rolete como algo que se come em uma mesa com taças e candelabros. Eu me ponho a comer porco tomando uma cerveja gelada e engordurando minha cara com a pururuca. Mas oras, colocar glamour nisso é inovador! Pois neste mesmo anúncio, estava sobre a mesa o personagem principal desta festa: O porco. Colocado sobre uma cama de alface americana (um must da decoração alimentar) o pequeno leitão estava inserido no contexto. Oras, você me pergunta, como um leitão inteiro assado em uma mesa fica glamouroso? Simples meu querido amigo sem classe: Acessórios. Eu fiquei chocada e extasiada com essa virada dentro das possibilidades criativas. O que eu pensei serem limões descascados a princípio, gentilmente postos sobre o pequeno suíno assado, eram na verdade grandes bolas de cristal facetado! Quem poderia imaginar!? Bolas de cristal, colocadas sobre o porco! Que coisa mais chic e surpreendente! Mas espere! As lindas bolas transparentes e estilosíssimas também estavam dentro do prato de couve e do prato de tutu de feijão! Quanto bom gosto! Bolas de cristal facetado tornam qualquer prato, por mais engordurado e "povão" que ele seja, em algo mais lindo que um balde de prata recheado de caviar beluga. Corra hoje mesmo para uma loja de decoração, compre suas bolas de cristal e voilá: Receba seus amigos em casa com aquele pratão de macarrão com salsicha e bolas de cristal. Porque o luxo, meu bem, é você quem faz.

- Para lidar com o mundinho fashion, só tem uma fórmula: Modelos fazendo cara de quem está com gases. Fotos de corpos torneados, suados e iluminados em poses sensuais e sugestivas e a boa e velha cara de quem está prestes a soltar um flato. Diesel, Dolce e Gabbana, Versace, Galliano, Mc.Queen, Lagerfield... O mundo se curva aos gases presos. E o nome do produto também é super-forte. Sua marca precisa resumir todo o espírito da sua roupa de maneira direta. Miu-Miu, Prada, Gucci, Balenciaga. Trés-chic chérie. Pois lá estava eu, sentada na sacada em um belo dia de sol, acompanhada de minha latinha de cerveja. Tive uma visão única ao folhear uma revista: Uma loja de roupas com um nome magnífico: Essência da Carne. A foto? Uma gordota (bem gordota) mostrando um generoso decote, uma pele acneica e um sorriso maroto de quem vai soltar uma bufa. A gordota resume ali toda a essência da carne. Costela? Patinho? Acém ou paleta?Essência de carne para mim é caldo maggi, mas vejam vocês, a criatividade humana está além de sua reles mente no cabresto! É estilo puro, é vanguarda! "Arrrasouuuuu amigaaaa"! Que venham os holofotes e as cápsulas de Luftal.

- Dia dos pais chegando, é tempo de preparar o domingão. Pra quê sujar sua casa. engordurar sua mulher e ouvir reclamação que a carne está sem sal se você pode levar todo o bando para a churrascaria? Pois bem, este é o target do anúncio que eu encontrei recentemente. A Churrascaria Gaúcha (esse nome não pode ser patenteado já que tornou-se domínio público, assim como Motel Kuxixu's) promoveu sua campanha de dia dos pais querendo tocar o amâgo do consumidor usando a singela imagem de uma criança. Na verdade, de um moleque magrelo e vesgo, mas não importa, todo mundo acha criança legal. Ou não? Enfim. Provavelmente filho do dono do estabelecimento, a criança feiosa estava colocada em frente a uma peça de picanha gigante. Milagres do Photoshop, o rapazola estava com uma "aura" mágica em torno de seu corpo, e voava próximo do enorme pedaço de carne cercado de, olha só, alface americana. Não sendo suficiente toda esta técnica de design e utilização de uma imagem do imaginário lúdico (que frase bonita essa), foi preciso criar uma forma de interação. A melhor e mais conhecida forma de interação da palavra falada com a imagem nada mais é do que um balão de história em quadrinhos. Pois aí está: Uma criança vesga, com uma aura encantada, voando em frente a um pedaço descomunal de picanha, conversando com o interlocutor através de uma balão de fala, com os seguintes dizeres:
"No dia dos pais vou almoçar da churrascaria Gaúcha. E você?".


A propaganda realmente nunca deixa de me surpreender. Quando eu acho que não há mais nada a se criar, os gênios aparecem, como baratas saindo da caixa de gordura.