14 de ago de 2006

Máquina Mortífera 5

Hoje ao chegar no trabalho, tive a oportunidade de acessar o famigerado vídeo-apelo da "rapaziada" do PCC. Para mim ele representa muito bem o que é esta "instituição".
Um sujeito lê um discurso pronto, que claramente não é de sua autoria, cospe palavras que ele nem sabe o que significam, mas acha que assim as pessoas vão simpatizar com sua "causa humanitária". Ele faz uma ameaça no final "Não encoste em nossas famílias". Me desculpe ô bandidinho fedorento e filho da puta, pois sua família em nada me interessa. Sua família de verdade, grandessíssimo monte de merda, é o PCC.

O que eu não suporto é bandido falando de família. Não há nada mais nojento. Primeiro e último: Quem se importa com o bem da família, não vira bandido. Ponto. Esses putos não sabem que é família. Todos filhos de mãe solteira, todos fazem filhos e deixam mães solteiras para trás. Não têm a mínima noção de cidadania. São psicopatas pedindo sua compreensão, usando palavras como "condições humanas" e "família" para exibir uma imagem não tão podre aos olhos do povão de não entende nada.

Um maloqueiro traficante segurando uma pistola na mão gritando que quer ser tratado como gente. Sequestrando um jornalista e fazendo ameaças para a TV. Me pergunto porquê no final da porra toda o encapuzado ninja ZL não gritou "É isso aê, vote Lula". Porque isso faria muito sentido.