2 de mar de 2007

Uma lição para a vida toda

Ontem eu estava em um boteco da vida, bebendo Pale Ale com meu namorado. Chegamos àquele ponto da noite, onde eu dizia:

-Então amor, eu acho que você é meio fechado sabe? Parece que tem uma casca em volta. Se bem que você melhorou muito desde aquela briga que a gente teve, lembra? Aquela que eu dei um soco na sua cabeça. ... É que você me deixou louca, você estava insuportável MESMO sabe? Tipo, eu acho que você tem que manter seu mistério, ser fechado é interessante, mas não o tempo todo, isso prejudica nosso namoro porque fica difícil o nosso entendimento, a coisa não flui direito parece que está truncada, eu tenho que ficar te desvendando e bla bla bla bla bla bla bla bla (preencha com coisas aleatórias de mulherzinha discutindo a relação)

Eis que meu namorado, com a mão apoiada no queixo, encostado no canto da mesa, com um sorriso nos lábios olha diretamente para o meu decote. Possui uma feição de alegria e contentamento. E eu parei de falar. Ele nem notou e continuou olhando para meu decote e esticou a mão e ficou fazendo carinho em um dos meus "melões".

Porra gente, eu lá falando um monte e o ser humano resumiu tudo em um gesto.

O gesto que todos os homens querem fazer quando uma mulher começa a complicar demais as coisas:

O famoso gesto masculino que atravessa barreiras sociais e temporais.

O imortal "Dãaa, peitinhoooos".


Eu parei de falar e ri durante 15 minutos, sem parar.

Homem é complicado? Não.

Mostre seus peitos que tudo se resolve.

Piu Facile.