5 de mar de 2007

Cúti-cúti

Dia 8 de março, a fofinha "CUT - cúti" quer aproveitar a visita de George W. Bush para realizar uma passeata contra o presidente norte americano, e organizar também protestos "simbólicos" em estabelecimentos de origem yankee.

No site da CUT, o senhor João Antonio Felício, secretário de Relações Internacionais da Central Única dos Trabalhadores dá seus motivos:

“Não nos move às ruas no próximo 8 de março, data prevista para a chegada de Bush ao Brasil, nenhum sentimento anti-norte-americano, como tenta grosseiramente pautar certa mídia, mas o mais profundo sentimento antiimperialista, de amor e solidariedade a todos os povos do mundo. Afinal, a quem beneficiou o criminoso abandono dos pobres nos EUA, como ficou evidenciado com mais clareza na tragédia do furacão Caterina, que dizimou Nova Orleans? Ou os gastos com os programas sociais? Como expresso em faixas e cartazes por centenas de milhares que tomaram as ruas das cidades de norte a sul dos Estados Unidos, Bush governa unicamente para o cartel bélico e financeiro, largando sua população à própria sorte. A fulminante derrota dos republicanos no último pleito é uma clara demonstração do seu desgaste e isolamento internos. Portanto, estamos caminhando juntos com todos os homens e mulheres de bem de todo o planeta, que buscam - e lutam - por um mundo justo e fraterno, de solidariedade e respeito mútuo. Valores que são a negação de tudo o que a barbárie imperial representa.”

Engraçado como é simples afirmar que Bush e seu "imperialismo desenfreado" (que eu entendo como capitalismo lucrativo) são os motivos para os países subdesenvolvidos serem uma, ahn, merda. O Sr. Felício julga as vítimas abandonadas do Catrina (um furacão, uma catástrofe da natureza), mas esquece de julgar que o excesso de greves que esta "CUT cúti" organiza e mantém a economia do Brasil emporcalhada, estagnada e acomodada dentro de leis trabalhistas Getulianas. Muito pior que Catrina é a CUT, seus excessos e seu apoio ao MST. Isso é pior que qualquer furacão ou ataque ao Iraque. A CUT é um furacão que colabora para a destruição econômica deste país.

Esta passeata anti-Bush junta tudo que a CUT gosta: passeata de esquerdistas bitolados, unidos à UNE contra algo que eles não sabem nem como funciona. "Infeliz visita" é o que Felício chama, em seu texto publicado no site da CUT, a vinda de Bush, o presidente da superpotência econômica mundial, ao Brasil.

Semana passada o fofolete Lulete disse que é preciso controlar o excesso de greves que pipocaram em diversos serviços públicos brasileiros, já no início do ano. Ele disse que é preciso tomar alguma atitude para negociar melhor as paralizações. Negociar o quê meu presidente corintiano? Me responda, alguém vai ser mandado embora? O bando de vagabundos vai parar de "trabalhar" para pedir melhores condições de "trabalho". Eles podem, por direito, prejudicar o funcionamento já parco das coisas, sem jamais serem enxotados para rua. E depois de tudo isso, ainda lançam processos trabalhistas no ventilador. É a CUT meus amigos, colaborando para sua nação.

O Brasil continua sendo um país simplório com presunção de ser alguma coisa. Nunca será. Não com a CUT e o presidente "piedoso" que escolheram pra mim.

Entre a soma CUT+Lula cagando nos cantos, e o Bush cagando na privada, eu fico com o mais educado.

"Demagogue: One who preaches doctrines he knows to be untrue to men he knows to be idiots"
H.L Mencken.