26 de abr de 2007

Passa a cola?

Dados divulgados esta semana pelo Ideb (Índice de Desenvolvimento e Educação Básica) mostram que em uma escala de 0 a 10, os brasileirinhos ficam na média de notas de 4 a 5.

O ranking escolar aprovou apenas 0,8% das cidades brasileiras. Veja, dos 5.560 municípios brasileiros, nem um porcento deles possui uma educação decente.

Sabe o que falta neste país?
Humilhação escolar.

Eu explico:

Estudei boa parte da vida em colégio público, e dentro de uma sala com 40 alunos, eu estava entre os 3 melhores. Não era um gênio, mas minhas médias eram bem acima do resto da sala. Eu não tirava 10 direto, mas estava sempre entre 7 e 10. Me tratavam como uma nerd. E eu não era.A diferença é que eu sabia que estudar é importante. Você, na escola pública, se não é um mano maloqueiro ou uma rampeira vadia, você não é nada. Vai sempre ser escurraçado no intervalo, alvo de chacotas e todo tipo de humilhação possível.

Depois, fui para uma das escolas mais caras da cidade (com muito sacrifício dos meus pais) para completar o colegial. Lá, as coisas eram ao contrário: Se você fosse muito burro, as pessoas o tratariam como retardado.

Aí está, claramente, o erro do Brasil.

A molecada tem que aprender que ser burro é humilhante. Ir mal na escola, é humilhante. Repetir de ano, ter 16 anos na quinta série , é humilhante. E que, se você é pobre, não necessariamente precisa SER BURRO. Que não saber escrever direito (porra, vejam o meu post passado, quantas pessoas ali insistem que "ansioso" se escreve com "c"?) é algo para se envergonhar. Isso não tem nada a ver com dinheiro, com classe social. O Lula falando sobre "O tempo da Elite do saber e não da Elite de berço e do sobrenome".

Lula, berço e sobrenome? O senhor é a porra do PRESIDENTE e me diga, qual é o seu nível educacional? De zero a dez, que nota o senhor acha que tiraria em uma prova de quarta série?

Enquanto as pessoas tiverem "dó" de gente burra e que acha que estudar e ter prazer em ser inteligente é coisa de "elite" eu vou mandar o Brasil se foder.

Estudar dá trabalho. E de trabalho, o brasileiro médio não gosta muito. Por isso sonha em ganhar na mega-sena ou virar funcionário público.

E dá-lhe professora fazendo greve. É funcionária pública, não é mesmo?