16 de mai de 2007

Dissoluta

Pela internê, buscando referências, encontrei o seguite texto:

"Dela, pouco se fala. Ao lermos o texto, passa despercebida. Talvez achemos difícil pronunciá-la. Deve ser realmente terrível, perversa, corrupta. Mesmo ao pronunciá-la, sentimos que precisamos do famoso sabão na boca para limpá-la. Na verdade, é o poço do pecado.

Se você se sente assim com respeito a essa palavra, então fico contente. É pelo menos um indício de que a sua vida não está sendo corrompida pela lascívia. Isso porque a lascívia
opõe-se diretamente à vergonha do pecado. É o pecado que se esqueceu de como "ficar vermelho". É um procedimento desavergonhado ­ sem limites, sem impedimentos, avançando apressadamente sem restrições. Se alguma vez você montou um cavalo em disparada, talvez você entenda o sentido disso. A todo vapor, fica extremamente difícil controlá-lo. Ele corre, avançando para onde quer"

Este foi um dos textos mais sexys que li nos últimos tempos. E minha surpresa é que ele foi escrito por Ronny E. Hinds, um senhor de ênfase cristã, que muito faz pela força da "evangelização" no mundo, vive dando palestras e escrevendo discussões sobre a bíblia e seus mandamentos. Esse Ronny deveria escrever contos eróticos.

Lascívia sempre foi uma de minhas palavras favoritas. Ela espeta a língua e a alma quando é pronunciada. Sai escorrendo pela boca.

"Lascívia".