2 de mai de 2007

Divino

Ao caminhar pelas ruas nunca deixo de me espantar. E esse espanto fez surgir, dia desses, um insólito diálogo:

- Sabe, é clara a não existência de Deus.

- Como assim?

- Bom, tirando todas as crueldades, as profecias e dizeres do Senhor na Bíblia, proferindo o temor para alcançar a glória, uma coisa sempre me faz ter certeza que realmente, o cara não existe.

- O quê? Qual é a razão dessa certeza?

- Puta que pariu meu bem, olha como tem GENTE FEIA nesse mundo, que horror!

- Hã? HAHAHAHAHAHA, cê é doida!

- É, oras. Imagem e semelhança? Tá todo mundo amaldiçoado? Afinal, qual a imagem de Deus? Olha aquele tiozão, caramba, a cara do sujeito é mais torta que reboco de demolição. O que fez o cara ser feio desse jeito? Deus? E a beleza divina? A pureza? Eu não quero ir pro céu e cruzar com aquele tiozão de bigode ali nunca!

- Mas a beleza é terrena, e é relativa. O velho papo dos olhos de quem vê...

- Tá certo espertão, faz o seguinte: Olha bem fundo nos olhos daquele cara e veja a pureza da criação divina naquele bigode sebento. Depois vem me contar como foi seu encontro com o Espírito Santo.

- Hum.

********************************

Toda vez que estou junto à uma multidão de pessoas feias eu canto o refrão da música Eleanor Rigby dos Beatles, mentalmente. Só que em uma versão modificada.

Vamos lá, cante comigo:

All the ugly people

Where do they all come from?

All the ugly people

Where do they all belong?