22 de jan de 2008

Pra entender o céu

Há muitos anos o livro "Mundo de Sofia" fez um sucesso estrondoso porque apresentava a filosofia, um assunto complexo, para os jovens de uma maneira fácil de ler. Muita gente torceu o nariz, mas a verdade é que simplificar a mensagem nem sempre prejudica o entendimento. Pode estimular muita gente a querer saber mais. Eu tive o Mundo de Sofia, meu pai me deu quando eu fiz 15 anos. Se ele me estimulou a estudar filosofia? Acho que o que estimula mesmo a aprender e gostar de filosofia é discutir com outras pessoas.

Agora a editora Nova Fronteira lançou no Brasil um livro que busca explicar para os jovens temas muito interessantes e aparentemente difíceis de se compreender: a astronomia e a física do espaço. George e o Segredo do Universo foi escrito por ninguém menos que Stephen Hawking, em parceria com sua filha Lucy Hawking, e conta a história de um garoto chamado George que é cheio de curiosidade para entender o espaço. A maneira em que o livro foi escrito é totalmente didática, cheia de ilustrações, fotos e imagens do universo. Explicações simplificadas, mas não menos coerentes, feitas para mostrar como se comportam os astros, os buracos negros e o tempo.

Tá, agora porque eu estou falando disso? Digamos que eu li o livro, meio escondida porque tenho 26 anos e não manjo lhufas de astrofísica e começar lendo coisas avançadas... Eu provavelmente desistiria. Entender a grandiosidade do universo, as mil teorias de sua criação, enfim, é tão fundamental quanto entender filosofia. Estamos boiando em cima de uma bola, dentro de um vácuo sem fim (ou com fim?) , cercado por coisas tão fenomenais que é impossível não parar pra questionar a existência, a religião e a vida.

Eu ainda estou engatinhando no assunto, e meu namorado insiste em me explicar a Teoria da Relatividade em mesa de bar. Eu nunca entendo, não sei se é porque estou bêbada ou se a Teoria foi feita para pessoas com QI de cabeçudo, o fato é que agora eu acho que tenho uma porcentagem maior de entender. E hoje eu também consigo assistir Star Trek como se fosse comédia pastelão.