21 de jan de 2009

Chapinhado

Outro dia estava ouvindo uma música interpretada pelo Lou Reed onde ele diz "sweeter than wine". Depois fiquei lembrando de várias músicas onde já ouvi "sweet wine" como sendo uma coisa boa e sensual. Tem uma música do Cream interinha dedicada ao maldito "sweet wine.

Não sei como pode ser isso, vinho doce é Chalise, Chapinha, Sangue de Boi, São Judas...

Fiquei imaginando o Lou Reed fazendo pose tomando vinho Chapinha em copo de requeijão.

Vinho doce é coisa de adolescente que sai de casa com 15 conto no bolso: tem que dar pra comprar um maço de cigarro e a bebida. O quê vem em garrafas grandes a preços módicos? Vinho. Tirando marvada pinga Jamel, que molecada hoje em dia sabe que morrer de cirrose aos 22 anos não é legal. Eles compram garrafas de vinho doce vagabundo.

Não sei porque tantas bandas resgatam esse tal de "sweet wine". Talvez eles lembrem da juventude regada a ressacas licorosas, as piores DO PLANETA.

Suco de uva Del Valle com cachaça seria melhor do que vinho tinto doce de mesa São Judas.

A música que me fez ficar pensando em vinho doce e Lou Reed é This Magic Moment:



Tá na trilha do filme Estrada Perdida como podem ver. A versão original é de 1960, cantada pelo sempre ótimo Ben.E.King e The Drifters:



Seja lá qual for sua versão favorita, não existe um momento mágico quando tomamos vinho doce.

Existe o momento "segura aí que eu vou gorfar ali atrás".