3 de ago de 2004

Ontem me perguntaram se eu gosto de Shopping Centers.

Não, não gosto. Odeio. Odeio mesmo, que lugar insuportável.

Os Shoppings Centers tem um som que lhes é característico, uma mistura de gritos infantis, gêneros musicais variados, mulheres rindo feito loucas, maridos pedindo para ir embora e vendedores grunhindo pelas lojas.
O som é sempre igual, parece que vem de dentro de uma caixa, é abafado, e é o que mais me incomoda.

A segunda coisa que me incomoda são os cheiros. Pipoca, dois passos, pastel, dois passos, macarrão, um passo, bife, três passos, café, dois passos, perfume, dois passos, couro, três passos, chopp, um passo... Isso me enjôa muito.

A terceira coisa são as luzes. Todas elas. São feias e pálidas. Tudo pisca, estoura a retina, nos cega. Tantas infromações visuais sem harmonia alguma, uma zona cerebral.

A quarta é aglomeração de pessoas inúteis. Sim. Porque rodar em Shopping é coisa de quem não tem absolutamente nada melhor pra fazer. E chegar ao ponto de ter que frequentar aquela merda, daquilo tudo ser sua última alternativa, é tão imbecil que eu fico com dó.

A quinta coisa se chama estacionamento. Não preciso justificar meu ódio nesse ponto, preciso?

A sexta coisa é a falta de noção de tempo que se têm dentro deles. Não se vê lá fora, não se sabe se chove ou se faz sol, se é dia, se a lua já apareceu, nada. Você fica lá dentro, perdendo tanta coisa lá fora...e quando sai, acaba frustrado pensando "Nossa, já anoiteceu. E o que eu fiz com meu dia?".

Me lembro mais desses motivos. Existem tantos mais, mas não justificam meu ódio tão bem quanto estes 6.

Podem me perguntar se eu vou em Shoppings. Lógico que vou. Agora se eu gosto disso, respondo que não. E quando mais rápido eu sair de lá, melhor. Me dá uma estranha sensação de alívio. Queria saber se alguém mais se sente aliviado ao ir embora de um Shopping.

Deve ser porque nada faz sentido lá dentro.