4 de out de 2004

Domingo- Colégio Eleitoral, 15:46 PM

Uma velha de aproximadamente 118 anos chacoalha seu guarda-chuva preto e pontudo para os céus e grita que ali só tem gente idiota que não sabe trabalhar. A velha carrega consigo 3976 medalinhas de Santos , de Jesus Cristo, de Nossa Senhora, Do Bendito Espírito Santo da Casa do Caralho.

Eu aguardo meu companheiro votar, e a velha continua gritando. Há um problema na sessão do meu companheiro,ele demora mais ainda para votar. E a velha berrando:
-SÓ ESSA SEMANA EU ESTIVE NA BEIRA DA MORTE DUAS VEZES! DUAS VEZES! EU TÔ AQUI PARA VOTAR, EU VOTO E ME ACONTECE ESSA POUCA VERGONHA! EU EXIJO JUSTIÇA!

Eu pensava: "Mas que porra fizeram com esta velha?"
A velha contou para a platéia involuntária que havia votado, e ao invés de aparecer a cara de seu candidato na urna eletrônica, apenas uma gravatinha verde apareceu voando no espaço.
Eu olhei pra cara da velha. Pensei: "Porra, esta velha deve ter catarata, não enxerga mais merda nenhuma, e fica delirando, vendo gravatinhas verdes voando pelo horizonte. Além do que insiste em gritar para todo mundo ouvir que ela está morrendo. Que lixo. Se eu ficar assim no futuro prefiro me matar."

Aí meu companheiro saiu da sessão. A velha segura o braço dele:
-Rapaz, rapaz! Você viu a cara do seu canditato? Ou uma gravatinha verde voando? O que você viu?
Meu companheiro com uma ressaca do caralho, disse que viu a cara do candidato, e ele usava uma gravata, mas não era verde não. E iniciou-se ali um diálogo nonsense entre uma velha absolutamente esclerosada com um louco semi-breaco, falando sobre gravatas de canditatos.

E eu, fiquei ali, olhando a chuva, esperando que minha merda de domingo acabasse logo...