26 de abr de 2005

Globo da Morte

Ontem a Rede Globo comemorou 40 anos de trasmissão televisiva. O que dizer sobre isso?

Não vou ser padronizada aqui como todo "revoltadinho pseudo socialista" e ofender a emissora onde "a festa é sua, a festa é nossa, é de quem quiser, de quem vier". Eu assisti muita TV na infância, resultado de um certo receio dos meus pais de deixar que eu saísse na rua. Sendo assim, eu não posso negar que me diverti.

Mas eu era criança, e como uma criança imbecil, ficava deprimida quando a Xuxa chorava cantando "meu cãozinho Xuxo". E foi lá que eu pude assistir He-Man, Thundercats, Ursinhos Gummy...
Pois é, não odeio a Globo.

Hoje sinto asco. Da cara de idiota da Ana Paula Padrão, das novelas que se passam no Rio de Janeiro, da enganação, da prepotência, do Chapelin apresentando o urso cinzento da tundra no globo repórter, dos relacionamentos globais (Angélica e Huck por exemplo), dos clichês sem fim prontos para atirar a mesmice na sua cara. Não gosto da Globo, por não ser mais criança. Se eu fosse criança hoje, talvez o sítio do pica pau me apetecesse. E só.

E assistindo um programa aqui da minha cidade, uma espécie de Manhattan Connection Country Redneck (três sujeitos falando besteiras de forma idiota afim de esclarecer merdas) ouvi elogios. Que fique claro que é um programa de uma emissora local, que em nada tem a ver com a Globo. Elogios? Sim, da audácia investigativa do Fantástico, das séries científicas de BBC que eles passam...Mas então porque a Globo tem que mostrar suas ditas "coisas interessantes" no domingo onze horas da noite? Porque ela passa a porra da Malhação e Vale a Pena ver de Novo? Ela não poderia passar documentários e produções "interessantes" pra quem fica em casa? Quem assiste Globo Repórter de sexta à noite PORRA?

Agora, saindo fora de todos os clichês "hoje é dia de xingar a GROBO" eu vou xingar a UOL.
Preste atenção na palavras "inteligentes" da enquete sugerida sobre os 40 anos da BLOBO:

Qual sentimento define melhor a sua relação com a TV Globo, que está completando quarenta anos? (está na ordem da opinião mais votada para a menos votada)

Simpatia. Acho que a emissora contribui para a informação e o entretenimento saudável da população, com um time excelente de comunicadores, atores, jornalistas e técnicos. (é né UOL, mexer com a cobra mãe complica seu rabinho né? Sensata...sensata...)

Desprezo. Eu não entendo como é que as pessoas babam tanto ovo pela Globo. Sempre que eu ligo a TV, tem algum programa idiota e preconceituoso no ar, tipo "ZorraTotal", "Domingão do Faustão" ou "A Diarista". (Opinião sensata de alguém mentiroso, que diz que nunca assistiu BIG BROTHER)

Orgulho. As novelas são um produto de exportação que faz sucesso no mundo todo e eu acho isso o máximo. A imagem do Brasil lá fora é boa em grande parte porque a Globo é a nossa principal embaixadora. (Típica de quem fugiria pors EUA enfiado no cu de uma vaca leiteira "undercover through México" estilo América a novela falida. A Globo é nossa embaixadora mundial, prova disso é a Glória Maria e seus passeios internacionais, e Zeca Camargo dando gritinhos enquanto pula de Bungee Jump na Nova Zelândia)

Raiva. Nessas últimas décadas, a Globo viciou as pessoas em ficar diante da TV feito zumbis. Será que a TV brasiliera é boa mesmo ou o telespectador é que não tem senso de noção? (Isso eu ouvi muito durante o primeiro ano da faculdade de jornalismo, logo depois daquela aulinha que passa "Além do Cidadão Kane" Os hippongos fedidos fazendo cara de anarquista fugindo do regime - QUERENDO DAR UM BASTA NO CONFORMISMO ALIENADO DO POVO BRASILEIRO- eca)

Admiração. Adoro os programas e, parafraseando Marcelo D2, diria que eu me desenvolvo e evoluo assistindo aos programas da emissora. (Essa opinião é típica de uma ameba unicelular recém saída de um oceano com altos índices de poluição nuclear, e que por coincidência é fã do Cabeção da Malhação)