12 de abr de 2005

Michael, where are you?

Nunca me esquecerei da primeira vez que vi o clip de Thriller na TV. Era uma noite de domingo, na casa de minha avó, eu assistia o Fantástico junto com meu irmão. Na verdade minha mãe não deixava a gente assistir esse programa imbecil, mas ela abriu uma exceção, já que era um videoclip do qual o mundo todo estava falando. Eu e meu irmão ficamos histéricos ao assistir aquilo. Que coisa foda! Era muito bom, a música, os zumbis dançando...e o clip passou na íntegra, com as cenas adicionais...
A segunda memória que tenho de Michael (além de tentar fazer o moonwalk até hoje) foi de ir ao cinema assistir Moonwalker, com aquela loirinha correndo pelos becos gritando "Michael, where are you?".
As outras são de assistir os clipes dele, sempre esperando coisas muito interessantes, e na maioria das vezes não me decepcionava.

Logicamente, como quase todas as crianças que amaram Michael nos anos 80 e início dos 90, estranhava aquela brancura esquisita, as cirurgias plásticas, os macacos de estimação, mas crianças realmente não se importam com nada disso. Elas só querem dançar "Bad" na festinha do vizinho e fazer o moonwalk.

Hoje, vendo toda essa história de pedofilia e bizarrices, vejo Michael como o via há 18 anos atrás: Um maluco que faz músicas boas. Nunca deixarei de admirar o sujeito que cantou "Rock with you". O que parecia um anão funk no Jackson´s Five. Que colocava a mão no saco a cada passo e usava luvas brilhantes. Ele nunca foi normal. Só que ninguém percebia isso. Agora perceberam.

Não acho inocente tomar sauna com o Macauley Culkin depois do "Esqueceram de Mim" ou ter uma Minie gigante pregada na porta do banheiro. mas não consigo condenar o cara. Estranho? Pois é. Eu não me importo se ele gosta de meninos sem pêlos, se ele coleciona bonecos estranhos em sua casa ou se seus filhos são experiências genéticas de clonagem. Mas ele fez Thriller. E isso, na minha cabeça, supera qualquer bizarrice que ele faça.

Não compro CD's dele. Os últimos trabalhos provam que a alma de Michael se esvaiu junto com a cor de sua pele.

Cada vez mais, leio notícias assustadoras sobre seu julgamento: ele lambia os meninos, mostrava revistas pornô pra eles, chorava feito criança quando não queriam dormir com ele...Pode ser tudo verdade? Pode! Eu não duvido de nada.

MAS PORRA ELE CONTINUA SENDO O MICHAEL FUCKING JACKSON.

Who´s Bad?