10 de set de 2005

Pero que los hay, los hay.

Tive a "grande oportunidade" de ver o novíssimo programa de TV do Dieguito Maradona. Conclusões: Maradona é um anão. Muito, muito anão. Menor do que eu.
Maradona é lesado, frito e faz comentários sexistas, mesmo que escondidos em meio a risadas amarelas (oras, qual apresentador de TV ex-jogador de "fútbol" não faria?).

Dieguito en sú momento "sorrio pero sin talco!"


Maradona é um loser. Mas ainda mantém a aura de Maradona. Ele é um jogador de futebol "rock and roll". Ele é a verve do róqui dentro dos campos. Maradona és muy méeerror que Pelézito. Maradona é algo além do mito. Ele é sex, drugs and a lot of rock. Ele pode ser ridículo abraçando crianças, anunciando um quadro de brincadeira "acerte a bola" para alguém da platéia chutar uma bola pra ganhar um troco. Ele pode ser patético entrevistando seus convidados. Ele pode ser nauseante ao aparecer no telão gigantesco atrás dele, como um desenho animado feito por computação gráfica. Mas ele ainda é o maldito Maradona. Maradona é maldito, camina con el Diablo. Do jeito que um verdadeiro jogador de futebol de um país de terceiro mundo deveria.
Fodam-se os jogadores evangélicos que levantam a camisa para mostrar escrito em seus peitos "eu amo Jesus"! Fodam-se comemorações apontando o dedinho pro céu e anunciando a intervenção divina em seu divino gol. O mérito é seu, jogadorzinho de merda. Só seu. Maradona sabe que o mérito é todo dele. Por isso ele é Maradona.

Hoje Dieguito está magro. E deve ter virado evangélico. E não pula mais em cima de montes de talco colombiano. Mas existe uma coisa bem foda nesse cara, que eu vou te contar...

Viva Dieguito!