3 de nov de 2005

Fujiru Nakombi

Sabe quando você vê um filme na locadora, até fica com vontade de alugar, mas não tem a a mínima idéia do que seja? Aí você fica segurando a caixa do DVD lendo a sinopse atrás, tentando entender as fotos, mas mesmo assim não sabe se o filme é bom? E fica nesse "alugo ou não alugo" durante três idas à locadora? Pois é, aconteceu comigo.


Pois eu via a porra deste DVD e não tinha idéia do que era. E quando chegava em casa esquecia de procurar na net, pra ver do que se tratava. Eu queria entender...mas o aluguel do DVD é meio caro, e em meio a títulos conhecidamente bons, fiquei com receio de pagar 6 contos e assistir uma caca geral. Pela capa, não dá pra confiar. Sabe-se que é japonês. E do jeito que colocaram o subtítulo no Brasil "CASSHERN - Reencarnado do Inferno", ficava com mais cara de cagado ainda. Esse "reencarnado" só não supera " muito loucas" ou "ninguém segura" como títulos suspeitos de ser uma super-merda cinematográfica. Mas, em uma terça-feira pré-feriado chato, eu desisiti de ficar raciocinando. Aluguei o dito cujo.

Coloquei o negócio no DVD com receio. Apertei play com mais receio ainda, algo como "que vergonha, alugar filme ruim por vontade própria". Aí, no menu, começou a tocar uma música em japonês, e que, pelo meu extremo gosto mega bizarro para música, reconheci como sendo a voz de Utada Hikaru. Eu gosto de Utada Hikaru. Então, para não perder meu tempo, tive a estupenda idéia de ao invés de colocar o filme de uma vez, assistir primeiro o trailer.

Não me parecia ruim, uma ficção científica estranha, com um sujeito de cabelo branco (nota pessoal: Porquê todo vilão japonês tem o cabelo branco? Qualquirola? Alguém me explica a relação "mal e a falta de pigmentação capilar"?) e um monte de robôs. Tudo meio misturado com atores reais e computação gráfica. Ah, apertei play e fui pro abraço.


O filme não é ruim. Bem feito. A história é muito mal costurada, e deixa uns vácuos de lógica pelo caminho. Vácuos bem grandes. Mas não é todo dia que a gente assiste um ficção científica japonesa onde uma raça mutante aparece devido um acidente estranhíssimo em um laboratório, e um moleque que tinha morrido na guerra é revivido. E o moleque vira um justiceiro ou algo assim. Não sei dizer que porra ele é no filme. Não sei quem ele está tentando salvar. Nem ele deve saber, mas o que conta aqui é só o visual do filme. Muito diferente do que estamos acostumados. A fotografia é bem gráfica, com brancos e vermelhos estourados. O filtro que o cara usa muda de acordo com a cena. Granulado, preto e branco, névoa... Atores reais em cenários virtuais. Parece um videoclipe gigante. A trilha sonora mistura rock chinfrim com música clássica. Nhé.


O fato é que Casshern foi baseado em um desenho animado dos anos 70, que não me é estranho, mas não lembro de ter assistido. Alguém lembra disso?


Se eu recomendo? Ah o filme tem seus momentos. A cena de luta entre Casshern e um exército de robôs é muito bacana. No final, não me arrependi. Não é um filme que eu teria em casa, mas que quando acaba, você não sente vergonha de ter assistido até o fim.


Tá dada a dica: Quem quiser ver um monte de japonês pulando, gritando e correndo com coisas explodindo, figurinos interessantes e um roteiro meio malfeito, mas nem de todo ruim, assistam "Casshern - Reencarnado do Inferno". Mas antes de tudo, façam como eu:

Assistam o trailer.