22 de dez de 2005

Presépio

Oh mais blog falando sobre o Natal! Devem existir pelo menos 30000000000 posts falando sobre isso hoje. É pra entrar no clima.

Uma coisa que eu sempre achei engraçada no natal é presépio. Parece brincadeira de criança. Eu particularmente acho bem ridículo, mas, durante minha infância eu adorava montar presépios em casa e na escolinha. Não pora acreditar que aquela presepada toda fosse sagrada ou algo assim, mas apenas por pensar "PORRA! ACTION FIGURES!"

Certa vez, muito contente com a chegada do Natal (e com a esperança de ganhar algum presente que não fosse a versão genérica do que eu queria, tipo a Barbie dos pobres, a "Nancy" e essas porcarias) eu resolvi montar um singelo presépio no meu quarto. Fui lá, achei um livro de arte da minha mamis para seguir instruções, e fui montar minha instalação.

Virgem Maria: Barbie. "Lórrico" mon cherie. Amarrei um pedaço de pano na boneca, cobrindo inclusive a cabeça (um xador!). Na falta de um manto azul como no desenho, tive que usar um roxo, e uma fita dourada para segurar no corpo magrelo na boneca (so glam Mary!). Minha pobre Barbie já não era virgem, (o Bob já tinham traçado), mas na época eu realmente não entendia como a moça engravidava sem "namorar"antes. Ah sim, eu era uma criança muito esperta.

José: O José foi foda. Em todas as imagens que eu encontrava do sujeito ele parecia um velho decrépito. Acabado. Fim de carreira. Praticamente o tiozão da praça (aqueles que ficam sentados o dia inteiro no banco da praça fumando e vendo as nuvens passarem. Muito velhos e decrépitos assim como José, o corno). O Bob era muito másculo. Pensei em pegar um urso meu de pelúcia, mas o José não era tão peludo. E em todo caso, eu precisaria de um urso polar, já que o vovô já estava mais do que grisalho. Eis que vi, caído dentro do baú, a imagem ideal para José. Sim, um cara acabado, fim de carreira, mas que apesar de tudo ainda mantinha um certo vigor: Esqueleto, o maior inimigo do He Man! Peguei o bonequinho, busquei um trapo na lavanderia, fiz um cinto com um barbante e "voilà"! José estava pronto para realizar seu papel de corno manso. Ah o cajado dele era o cetro da Maligna.

Figurantes do reino animal: Meu Querido Pônei era o burrico. Uma bola de lã caída ao lado da manjedoura (eu precisava de uma ovelha!). A vaca...honestamente essa eu não lembro o que fiz.

Três Reis Magos: Sargento Willy, Ninja Azul e Cabo Travis. Comandos em ação e suas metrancas plásticas seguiram o míssel...opa...a Estrela de Belém, de encontro ao Marechal Messias.

Baby Jesus: A imagem central da coisa toda. Mas era difícil achar algo que se parecia com um bebê divino e celestial. Pensei em uma bola dourada com uma boquinha desenhada e coisas do gênero. Mas no fim, eu peguei um pedaço de meia calça, enchi de algodão, moldei como se tivesse uma cabeça e desenhei uma carinha feliz ... Ali estava o filho de Deus. Peguei um pouco de glitter dourado e colei na cabeça do bichinho. Um mimo. Baby Jesus Flash Dance.

E é assim que se faz um Natal Feliz!