17 de jul de 2006

Absolutely fabulous

Chicago está sediando o 7º Gay Games. Eu li a notícia e fiquei curiosa. Existem desde 1982 e eu nunca ouvi falar. Pergunto-me então: São esportes normais ou são esportes gays? E o que seriam esportes gays?

Pense um pouco: Não existem esportes gays. Não haveriam de existir porque não existe nenhuma lógica nisso. Gays praticam qualquer esporte assim como os héteros. É idiota se pensar que uma biba não consegue nadar como um sujeito hétero.

Se for para ser cretino, então vamos dividir as categorias:

Nado de Bruços (não de costas)
Borboleta Glitter (é preciso fazer uma performance antes de cair na água, algo como a transformação do casulo em uma linda borboleta nadadora)
Nado de peito aberto (libera, se solta, sai do armário e nada!)
As provas de natação devem ser realizadas com sungas mínimas e TODOS os nadadores devem ser malhados e bronzeados.
Corrida 100 metros de plataforma (correm maravilhosamente de salto 15)
Corrida com beliscão (corre, alcança o parceiro e ao invés de passar aquele bastão sem graça o lance é dar um beliscão na nádega do outro, ui!)
Salto com a vara (o negócio é armar a barraca e sair saltitando. Os participantes devem ser bem-dotados)
Remo Loucura (8 marinheiros musculosos colocados em fila na canoa, estrategicamente encoxados entre si. E remando, obviamente)
Esgrima Uó (toda vez que um ponto técnico é marcado no corpo do adversário este pode soltar gritinhos escandalosos. "Aiiiiii gato, pega leve né?")
Salto Ornado e Mental (saltar do trapolim de maneira graciosa gritando frases de efeito "Arrasa amiiiigaaaa" "Olha o bofeeeee" "Segura a peruuuuuuucaaaaa" caindo na água sem desmanchar a pose)

Bom, demências à parte, o negócio é o seguinte:Enquanto as pessoas continuarem a dividir o que é gay e o que é hétero as coisas não vão mudar. Creio que possam haver problemas nas divisões de categoria quando forem transexuais, mas um gay, seja homem ou mulher, não precisa competir somente com gays e vice e versa.

Meu amigo, se você é um gay que gosta de padalar, pedale. Mas não faça disso uma "ferramenta de luta contra o preconceito". Além do que, se você pedalar com héteros e ganhar, vai provar com convicção que não há diferença mesmo. Porque neste aspecto, não há.