30 de ago de 2006

Quiche

Vladimir Tretchikoff, conhecido como "king of kitch" morreu hoje, aos 92 anos. Quem é esse sujeito? Porquê era conhecido como o Rei do Brega? Simples: Tretchikoff pintou quadros que se tornaram o cult da decoração ultra-brega mundial. Seu quadro mais famoso "The Chinese Girl" teve mais cópias vendidas que a Mona Lisa de Da Vinci.

Milhares de pessoas possuem uma reprodução da obra dele em casa, pendurada na sala, logicamente decorada com mesinhas de canto cobertas por toalhas rosas de crochê, bibelôs de porcelana, flores de plástico e cortinas de renda.
Sucesso de vendas durante os anos 60 e 70, Vladimir odiava o apelido que deram a ele e acreditava que era um pintor de talento. Já os críticos diziam que ele "fazia arte para quem odeia arte".

Seja lá o que dizem do velho, eu creio que há valor no que ele fez. Chamem-me de idiota, mas o mau gosto hoje em dia me parece muito mais difícil de ser decifrado. Antigamente comprar Tupperware lilás, todo o conjunto de copos, jarras, xícaras e potes plásticos mostrava que uma pessoa vivia de maneira kitch. Era um horror. Coisa de casa de vó, onde todos os panos de prato possuem barrado, onde existem toalhinhas em lugares que você acreditava que não caberiam uma toalhinha. Tipo em cima da TV. E mais um bibelô para ornar.

Já hoje o sujeito entra em uma Tok e Stock da vida e se acha arrojado. Não me levem a mal, existem coisas bacanérrimas na Tok e Stock. Mas há algo de errado ali. O estilinho de vida, o conceito das coisas. Para mim é brega.
Posso ser brega, mas há graça nisso. Creio que o famoso quadro dos cachorros jogando pôquer ficaria legal em uma sala. Sem brincadeira, eu teria um em minha casa. O ultra-kitch tem senso de humor.

Minha vó,eu me lembro, fazia quadros de tapeçaria. Eram coisas horrorosas, que tinham um cheiro estranho. Ela bordava esses negócios com temas tropicais, geométricos e da cultura popular brasileira. Pendurava pela casa toda. Feios de doer. Eis que passando pela Tok Stock me deparei com isso:

Um círculo de barbante com feijões dentro. O preço? R$ 64,00. Eu fazia igualzinho na pré-escola, nunca pensei em vender para uma loja de decoração. Os quadros estranhos da minha vó eram mais elaborados, o espírito da coisa era engraçado, naturalmente. Esse trocinho da Tok Stock é feio, brega e absolutamente sem graça. Parece aquela decoração "Tiki" do The Sims. E se você fica em um ambiente com esse quadrinho o grau de satisfação com sua vida cai 9 pontos a cada minuto.




Não desmereço Vladimir Tretchikoff. De acordo com o pesquisador de cultura pop Wayne Hemingway "Vladimir Tretchikoff foi tudo o que Andy Warhol mostrou que gostaria de ser, mas era "cool" demais para conseguir".

Pode ser? Deixo a pergunta no ar enquanto vocês refesteiam seus olhos com o maravilhoso Palhaço Chorão e quem sabe, encontrem a resposta.