6 de mar de 2007

Make my Day

Assistindo Dirty Harry em casa, comecei a matutar uma solução para o problema com a violência juvenil no Brasil.


Exibir filmes (continuamente, meio que lavagem cerebral) como Máquina Mortífera, Dirty Harry, Duro de Matar, Stallone Cobra e qualquer outro que faça o gênero policial - tira honesto parada dura, para a criançada mais propícia a virar maloqueira. Na Febem ou nas comunidades, mostrar uma magnum 44 fazendo a coisa certa: matando bandidos.

A molecada precisa ver que é mais interessante matar bandido do que ser bandido. Há algo de muito errado com um menino de 14 anos que acha legal assassinar policiais. Ele tem que admirar a lei. O problema é que os policiais são muito mal treinados por aqui e não sabem impor respeito sem cuspir na cara do marginal. A postura do policial deve ser séria, rígida e não irracional. Com os exemplos de milícias do Rio, a imagem dos caras fica cada vez pior. Mas vamos lá: Vamos pegar os melhores "tiras" (quem diabos fala tiras minha gente?) como Harry Callahan (Dirty Harry), Frank Bullit (Bullit), John McClane, (Duro de Matar) e ensinar às crianças que o lado certo da lei é muito mais glamuroso e interessante do que morrer com 12 anos assaltando um mercadinho.

Visualize dois meninos da "comunidade" do Morro do Macaco brincando de polícia e bandido. Um traficante contra um policial. Aí o menino que faz o policial derruba o trafica maloqueiro, aponta a arma (de plástico eu suponho) e pergunta:

-E aí vagabundo, 'cê se sente sortudo hoje?

É de trazer lágrimas nos olhos.