27 de jun de 2007

O que seria e não é

Eu ia fazer um post sobre como é absurda a postura de galo metido a dono do galinheiro do Sr. Renan Calheiros. Tenho vontade de bater nele, naquela amante dele, na mãe dele e no Lula. No Lula só por diversão.

Pensei então em comentar a situação das escolas públicas. A quantidade de professores e profissionais de ensino agredidos fisicamente por alunos é alarmante, tem piorado cada vez mais. Não sei o que culpar, penso que o que falta nas pessoas deste país, em geral, rico ou pobre, independente de classe é falta de responsabilidade como cidadão. Então encontro o culpado: não culpo pobreza, eu culpo as pessoas.

Me veio à mente o apagão aéreo. Me lembro que antes da eleição do ano passado estava normal o funcionamento dos aeroportos e dos controladores de vôo. Aí aconteceu o acidente da Gol. De repente, americanos são os sujeitos mais filhos da puta do planeta e o sistema brasileiro de mapeamento aéreo é perfeito, lindo, mas precisa de recursos. Como vindo do nada, começa o caos aéreo. E dura meses, controladores se fazem de coitados. São todos do sindicato. E todo mundo passa por situações precárias. O governo fica chupando o dedo e coçando a bunda, enquanto pessoas esperam horas em saguões. E assim, como quem passa mel no mamão, o Lulete promete aumento. E puff, em uma nuvem de fumaça, os problemas dos controladores desaparecem e tudo funciona de novo. Estamos na mão de quem?

Poderia falar das notícias do jornal, comentando que as pesquisas mostram: as maiores vergonhas do brasileiro são a corrupção e a violência. Mas aqui nestas terras, todo mundo quer ser funcionário público. Todo mundo quer se dar bem. Trabalhar pro governo é mais garantia de estabilidade. Não vai ser demitido. Também não vai fazer porra nenhuma o dia inteiro. Então estão com vergonha de quê? Violência? Quem está sendo complacente com os criminosos é o próprio povo, a polícia, os meios de comunicação. Justificando criminalidade na pobreza. Aí aparece classe média espancando doméstica na rua e todo mundo fica boquiaberto. Em um país onde um juiz demora 5 anos para carimbar um papel, você quer o quê? Ele é funcionário público, não duvide de sua eficiência. Um puta círculo vicioso.

Mas, meu post não será sobre porra nenhuma, porque ele não vai existir. Não por inteiro. Porque estou cansando minha beleza (joga o cabelo pro lado, coloca a mão no queixo). Sabe? Eu não quero saber.

Hoje tem jogo do Brasil. Vou tomar uma cerveja. Rir. Pensar no meu umbigo e em como ele é pequeno.

Alguém topa uma cervejinha? Um drink? Tamos aí.