2 de jan de 2009

Se eu fosse um país

Eu seria Israel.

Tática de membros do Hamas para deixar você, cidadão ocidental, com raiva de Israel:

O grupo fica escondido/concentrado em regiões cheias de civis para fabricar alguns mártires (de preferência crianças) que saem na capa de todos os jornais do mundo em fotos sangrentas e chocantes.

O grupo Hamas nunca se preocupou em construir um abrigo anti-aéreo sequer para seus civis nem orientá-los de como se proteger dos ataques. Nenhum abrigo para os civis. NENHUM. Sabe o que é um abrigo anti-aéreo? Um simples buraco no chão.

O Hamas quer que palestinos inocentes morram, ele quer que esse número de civis mortos seja usado para provar que os judeus são malvados. Eles fazem qualquer coisa para destruir Israel.

O Hamas é um grupo terrorista e não um bando de pacifistas. TERRORISTAS minha gente.

Não é porque eles têm menos recursos que isso faz deles, automaticamente, os coitados da história.

Eu não sou a favor de pessoas inocentes morrendo, sejam elas palestinas ou israelenses. Mas se você parar pra pensar um pouquinho, quem faz homem-bomba vem do lado palestino. Morrer pra eles é importante. Inclusive deixar crianças morrerem. Tudo pela causa.

Uma grande autoridade palestina, o clérico Mufti Sheikh Ikrimeh disse em 2004 "Diremos a eles (os israelenses), o quanto vocês amam a vida, muçulmanos amam a morte e o martírio. Essa é a grande diferença entre aquele que ama o paraíso e aquele que ama este mundo. Os muçulmanos amam a morte e [lutam pelo] martírio".

E minha grande dúvida para 2009 é:


Obama VS Terroristas. O que ele vai fazer?